Translate

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Vazio de Mim


Nesta vida louca que vivemos, sem tempo nem ao menos para cuidar de nós mesmos, vivendo muitas vezes sobre pressão do trabalho e/ou da vida pessoal. E do nada algumas pessoas começam a sentir que estão se afastando delas mesmas, tem a sensação de não saber quem são e já não sabem mais o querem, estas sensações podem ser chamadas de “vazio de mim”.
Quando vivemos este vazio, deixamos de sentir, nem o bom e nem o mal, a tendência é se sentir muito cansado, pois parece que tudo que se faz não vale mais a pena fazer. Deixamos de desejar e querer, por alguns momentos parece que nossa alma se foi e só esta o corpo, e este corpo continua a fazer as coisas do dia–dia, mas as faz de maneira mecânica, por que já sabe como funciona, faz sem sabor, não lhe da mais prazer. Acorda exausto e dorme exausto, o dia passou e as coisas que aconteceram neste dia não fizeram nenhum sentido, nesta situação as pessoas não querem mais pensar, nem em nada ou ninguém, a única vontade é se encolher e dormir.
Quando vivemos neste vazio de mim todos os dias, por muito tempo e nada muda, temos um problema, pois estamos morrendo aos poucos, em vida, deixando de existir, paramos de interagir.
Não necessitamos continuar vivendo e se sentindo assim, não precisamos continuar vendo nossos amigos ou familiares vivendo assim. Como ajudar então quem vive este vazio? Como fazer se quem vive este vazio é você mesmo?
A primeira coisa a fazer é parar e admitir que não esta bem. Depois procurar ajuda especializada. A primeira ajuda é um psiquiatra, este é o único indicado para receitar a medicação, esta medicação vai ajudar a química do corpo a se reorganizar, mas a medicação não é mágica, temos também que reorganizar a vida e para isso procuramos um psicólogo.
A terapia vai ajudar a rever a sua vida, a reparar o que não esta bem, a descobrir que talvez sua vida perdeu a graça por falta de se olhar, de se cuidar, de procurar outras coisas e descobrirá também que esta falta se deve porque você viveu tempo de mais envolvido nos problemas e esqueceu que a vida é feita também de outras coisas.
Você descobrirá a importância de ser completo, que não existi por exemplo só o trabalho em sua vida, mais também família, lazer, amigos e porque não, momentos que não se faz nada, apenas curtir a preguiça de uma tarde chuvosa, aprende que uma boa alimentação é importante, que atividade física é importante, pode também conhecer seus limites, a identificar suas habilidades, a redescobrir necessidades conhecidas e desconhecidas, que são individuais e por fim aprender a se amar e que você é importante. E assim, o “vazio de mim” neste processo de aprendizado e trabalho em conjunto com a psiquiatria vai deixando de existir e passamos a estar mais próximos de nós. Uma vida mais completa, com mais graça, não sem problemas, mas com a energia para enfrentá-los. Por fim, todos temos o direito de sermos felizes, de estarmos bem, pedir ajuda não é ser fraco, ao contrário, é uma demonstração de auto-cuidado e de ser sim forte e corajoso.

Beijos fique bem.

2 comentários:

Suziley disse...

É verdade, a correria do dia a dia, é tremenda. Somos bombardeados por avalanches de informações, de notícias, de emoções, sensações, etc. E, aí, muitas vezes, precisamos de momentos de reorganização, harmonização, restauração. O "vazio de mim" que menciona, vejo no seu aspecto positivo, de "desligar-se" por alguns instantes da loucura do dia a dia. Para recarregar as baterias...hehe!! E todos precisamos. Gostei do seu texto, nos faz refletir. Boa noite, Inês, beijos no seu coração ;)

Priscila disse...

Adorei esse texto. Realmente é a mais pura verdade o que screveu. Nesse mundo tão corrido, somos exigidos de todos os lados, e muitas vezes vem também a nossa auto-exigência para resolver todos os problemas, ter todas as respostas, não precisar de ajuda e aí quando vemos, estamos assim....vazios...distantes dos amigos, familia, diversão....
Parabéns pelo conteúdo!
Priscila